Importante para sua boa navegação pelo blog.

Importante para sua boa navegação pelo blog.

João e Mário. VALORES HUMANOS - A revolução necessária -


João e Mário.

João era um importante empresário que morava em um apartamento de cobertura numa área nobre da cidade.
Naquele dia, pela manhã, João deu um longo beijo em sua amada e, em silêncio, fez sua oração de agradecimento a Deus por sua vida, por seu trabalho e por suas realizações. Depois, tomou café com sua família e levou os filhos para o colégio. De lá, foi diretamente para uma de suas empresas.
Ao chegar à empresa, João cumprimentou todos os funcionários com um largo sorriso, inclusive dona Tereza, a faxineira. Quando chegou a sua sala, viu que tinha inúmeros contratos para assinar, decisões importantes para tomar, reuniões com diversos departamentos, além de fornecedores e clientes para atender.
Vendo sua secretária um pouco nervosa, ele disse:
— Calma, vamos fazer tudo com tranquilidade, sem estresse.
Ao meio-dia, ele foi para casa, almoçar com a família. À tarde, ao voltar para a empresa, recebeu o balanço financeiro e viu que o faturamento do mês anterior tinha superado os objetivos.
Imediatamente, notificou seus colaboradores de que haveria
bonificação salarial no próximo mês!
Apesar de sua calma, ou talvez por causa dela, João conseguiu dar conta de tudo o que estava agendado para aquele dia.
Ao sair da empresa, passou no supermercado e foi para casa buscar a esposa e os filhos para jantarem fora. Era sexta-feira. Encerrando a semana, João ministrou uma palestra motivacional para estudantes, mostrando-lhes, com o seu exemplo, como subir na vida.
Enquanto isso, em outra cidade, vivia Mário. Ele morava em um
bairro pobre e todas as sextas-feiras ia jogar sinuca e beber
com os amigos.
Mário não tinha filhos. Um amigo havia lhe oferecido um emprego em sua oficina, mas ele recusou porque não gostava do ofício.
Agora, ele morava de favor em um quarto sujo no porão da casa
de um conhecido.
Naquela sexta-feira ele chegou nervoso ao bar, afinal, estava
desempregado e sua terceira mulher havia partido há poucos
dias. Ele batia nela. Ficou no bar jogando e bebendo até o dono
precisar pedir-lhe que fosse embora.
Mário pediu para pendurar a conta, mas seu crédito fora cortado
há tempos. Então, ele armou uma tremenda confusão e acabou
sendo colocado para fora do bar. Sentado na calçada, ele ficou
chorando e pensando no rumo torto que sua vida havia tomado.
Então, seu único amigo (o mecânico que tinha lhe oferecido
emprego) veio e o levou para casa.
Curada a bebedeira de Mário, o mecânico perguntou-lhe:
— Diga-me, por favor, o que fez com que você chegasse até o
fundo do poço dessa maneira?
Mário, então, desabafou:
— A minha família... Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia,
batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma vida miserável. Quando minha mãe morreu, doente, sem condições de pagar um tratamento, eu saí de casa. Estava revoltado com a vida e com o mundo. Eu tinha um irmão gêmeo, chamado João, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente. Nunca mais o vi. Deve estar vivendo assim, como eu.
Naquele mesmo momento, em outra cidade, João terminava sua
palestra para os estudantes e já estava se despedindo quando
um aluno lhe perguntou:
— Diga-me, por favor, o que fez o senhor chegar à posição que
tem hoje na vida? Como se tornou esse grande empresário e
grande ser humano?
João, emocionado, respondeu:
— A minha família. Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia,
batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma vida miserável. Quando minha mãe morreu, doente, sem condições de pagar um tratamento, eu saí de casa. Estava decidido de que queria uma vida melhor para mim e para minha futura família. Eu tinha um irmão gêmeo, chamado Mário, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente.
Nunca mais o vi. Deve estar vivendo assim, como eu.

Autor desconhecido.

Ensinamento.

Agindo certo ou errado, os pais sempre ensinam algo a seus filhos.
Quando as atitudes dos pais são boas, positivas, elas mostram às
crianças o que deve ser feito; quando suas atitudes são ruins, negativas, mostram exatamente o que elas não devem fazer. Portanto, cabe a cada um de nós, filhos, decidir o que vamos aprender. Qual tem sido a sua escolha?
O que aconteceu com você até agora não é responsável pela definição do seu futuro. O que definirá o seu futuro é a maneira como você vai reagir a todos esses acontecimentos. Sua vida pode ser diferente, sempre! Não se lamente pelo passado, pois depende só de você construir o futuro que deseja.
Muitas coisas que acontecem na vida não são passíveis de escolhas, mas, seja o que for que acontecer, lembre-se sempre de que você pode escolher o modo de reagir ao acontecido. São os valores humanos que nos possibilitam reagir positivamente às situações da vida. E os valores humanos estão dentro de nós e não fora.
Embora não possamos criar um novo começo, sempre é possível criar um novo fim.


Livro: VALORES HUMANOS - A revolução necessária - Izabel Ribeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

João e o pé de feijão. Historinha infantil com moral da história, dinâmicas e atividades.

A festa no céu. Narrativas diferentes da mesma história.

A PRIMAVERA DA LAGARTA - Ruth Rocha.